A Peculiar

04/02/2017

A Colina Escarlate [Filme]


Yo meus pequenos sonhadores, como vão hoje? Hoje trago uma resenha do filme "A Colina Escarlate" em breve também irie fazer do livro cujo possuí o mesmo nome. Lembro dos grandes oferecimentos quando o filme foi mencionado principalmente no trailer oficial do filme, claro era um filme de Guillermo del Toro, porém quando realmente o filme passou na telona não demorou muito para criticas positivas e frases como "me decepcionou". Todos esperavam um grande filme de suspense, com cenas fortes habituadas de Guillermo del Toro, mas parece que ele decidiu fazer as coisas um pouco diferentes. Todo o filme era rodeado daquele romance gótico com uma pitada de suspense e um cenário de tirar o folego. Um horror elegante, resumindo em uma palavra "poesia".



A história no século XIX, onde as mulheres já usavam vestidos com menas camadas e já podiam estar presente em eventos de negócios da família, desde que acompanhadas, mas apesar do grande desenvolvimento a limitação das mulheres ainda eram presentes, onde o filme deixou bem claro quando o livro de Edith Cushing não foi aceito por abordar fantasmas "fantasia", e foi aconselhada escrever romance, pois é isso que mulheres escrevem. Após a morte de sua mãe. Edith Cushing recebeu a visita de um espirito e desde então se viu fascinada por tal assunto, mantendo isso somente para si e compartilhando em seu livro, que espera um dia publicar. Edith Cushing se considera muito diferente das outras damas,  não se interessa por moda, namorados ou bailes. Prefere estar entre livros, ou conversando com seu pai (um magnata americano) sobre politica, qual lhe ensinava como cuidar dos negócios da família.


Certo dia no escritório de seu pai conhece o senhor Thomas Sharpe, um inglês dono de uma mina de cera vermelha, uma das melhores da época. Thomas Sharpe vai em busca de um emprestou ou proposta para sua máquina, qual ele mesmo criou e pode extrair cera de grandes profundezas, sem precisa criar tuneis (o motivo fica mais claro no livro). Porém o pai de Edith não só recusa a proposta como trata rudemente o jovem rapaz. Mais afrente Edith descobre que o Senhor Sharpe é suposto noivo da irmã do seu melhor amigo de infância, porém os olhos de Thomas mudam de direção. Em pouco tempo Edith se vê apaixonada por Thomas. Em um piquenique ela conhece melhor a irmã mais velha de Thomas, Lady Lucille Sharpe qual tem uma conversa estanha com a jovem  Edith, enquanto segurava um borboleta ferida; falava que de onde vem não existe borboletas, é frio de mais. Somente existe borboletas negras (mariposas), ao terminar de falar repousou a borboleta sobre um formigueiro e observou as formigas amontanharem-se sobre as assas da mesma.


Edith se encontra completamente apaixonada, e que nada poderia tirar sua alegria. Mas o destino cruel arranca sua felicidade, seu pai é encontrado morto. Estando solitária Edith casa-se em pouco tempo com Thomas e viaja o mundo até a Cúmbria, Inglaterra. Chegando lá se depara com uma grande mansão em uma colina. Thomas diz que ali é chamado de "A Colina Escarlate" (ou escarlate), Edith estranha o nome, mas não se importa muito no momento. Thomas lhe apresenta a casa, e fala um pouco sobre ela, lamenta seu estado pois era grande e antiga e não passava por manutenção a um tempo.


Coisas estranhas começam a acontecer, ruídos, sussurros. Mas tudo começou a ficar estranho quando Thomas diz a Edith que existia partes da casa qual ela não poderia circular, com a desculpa de ser perigo. Porém Edith só começou a desconfiar quando  Lady Lucille Sharpe lhe nega dar as chaves da casa e raramente deixa o recém casados a sós. Um tempo se passa e coisas começam a falar com Edith, não somente falar mais sim assusta-la. A jovem comunica seu marido, mas ele apenas diz que é uma velha casa e que é normal barulhos estranhos e ruídos. Em quanto Lucille diz que é somente a imaginação fértil de uma escritora, e que deveria se controlar ou ficará louca.


Coisas continuam a acontecer com Edith, e por mais que afirme ver espectros estranhos, os Sharpes continuam a ignora-la, não demora muito para a jovem ficar doente e estérica. Lucille se oferece para cuidar da jovem, qual adoece cada vez mais. Então Edith se vê obrigada a descobrir esse mistério e só assim poderia melhorar e talvez convencer os Sharpe de que não é sua imaginação. Mas sim espíritos vingativos que querem machuca-la. Esse é o pequeno resumo de algumas coisas da história. Infelizmente não posso dizer muito, ou vou entregar completamente os fatos.


O filme é maravilhoso! Os cenários são magníficos, a trilha sonora lhe ajuda entrar no clima. A escolha dos atores foi perfeita. A história passa aquele clima obscuro em toda sua extensão. O filme é bom sim, mas não espere lutas, sangue, ou mortos aparecendo o tempo todo. Infelizmente essa não foi a proposta de Teodoro, o que não deixa de ser um filme magnifico. Que vale muito a pena ver. O filme vai liberando pistas do passado do sobrenome Sharpe e que pode ser muito obscuro. Para mim foi uma ótima experiencia assistir. Apesar de ser um filme suave não é aconselhável para crianças, por causa de cenas picantes e inapropriadas para menores.

Classificação:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

▪ Leu a postagem e gostou? Deixe um comentário feliz.
▪ Não use palavras de baixo escalão.
▪ Comentários de mau gosto, não serão publicados.
▪ Quer afiliação? Pode pedir por aqui mesmo.
▪ Aceito pedido de postagens.
▪ Não peça "seguindo, segue de volta?", deixe o link de seu blog. Eu irei visitar se eu gostar eu seguirei.