O Último Capitulo [Filme]


Podem me chamar de sem vida, mas amo perder horas da minha vida assistindo filmes e séries na Netflix. E hoje venho falar de um filme original da Netflix, para ser honesta demorei muito para assistir esse filme por causa de inúmeros comentários negativos sobre ele, mas decidi assistir para tirar minhas próprias conclusões. Seu nome original é I Am the Pretty Thing That Lives in the House que na nossa tradução seria algo como... "Eu sou a coisa bonita que habita na casa", com toda humildade acho que "O último capitulo" ficou muito mais poético , mas não teve absolutamente nada haver com o filme, explicarei sem sapoilar no final o porque! O roteiro do filme foi escrito por nada menos que Oz Perkins, sendo diretor do mesmo;  A cinematografia foi feita por Julie Kirkwood, que ficou divinamente linda! E a música foi composta por Elvis Perkins. 


O filme conta a história de Lily  (Ruth Wilson)  uma jovem enfermeira que trabalha para Iris Blum (Paula Prentiss), uma famosa escritora de horror aposentada que vive reclusa em uma mansão de campo. Iris parece ser uma idosa quieta e não se comunica muito, mas sempre que chama por sua enfermeira a chama de Polly. Intrigada Lily começa a pesquisar sobre quem seria Polly, acreditando ser alguém próximo. Assim ela descobre que Polly se trata de uma personagem de Iris e que a velha casa onde habitam possui muitos segredos...


O filme possui uma ambientação e cenários quase poéticos, e combina muito com a narração que é utilizada durante o filme. Mas acho que a produção abusou um pouco dessa química e acabou se tornando abusiva e um pouco desnecessária... fazendo o belo se tornar um pouco clichê. Pois o filme é mais narrado... do que dialogado pelos próprios  personagens. O filme tem um ritmo lento, o que já era esperado pelo diretor, mas foi esperado que apesar de lento tivesse algo que lhe prendesse ao assistir e isso é algo que o filme não teve, mas não chega a ser impossível acompanhar.  


Algumas cenas desnecessárias são estendidas, e tendo muitas poucas cenas essenciais para história, Conforme o filme vai passando você monta toda uma base sobre o que realmente pode ter acontecido e sobre quem é Polly, mas o final é muito mais simples do que imaginamos. Porém isso não faz a história ser de toda ruim... a obra é realmente bela, mas não é um filme que lhe assuste e nem tão pouco ofereça um final surpreendente. Sua fotografia me lembrou um pouco o filme "The Wicht" lançado em 2015.


O filme passa uma suave que a enfermeira Lily sofre de síndrome-do-panico, ou pelo menos foi o que e notei. Algo que eu queria dizer que espero não ser um tipo de spoiler é que a história podia ter abortado mais sobre o livro de Iris e até mesmo sobre a própria Iris. Sendo escritora achei era uma ponta enorme, para criação do filme, mas não foram mencionados... deixando um grande vazio sobre Iris... e Polly...


Uma coisa curiosa e intrigante a se dizer é que o filme não teve uma boa critica para os assinantes na Netflix, porém o filme conta com quatro estrelas em sua avaliação popular... deixando alguns usuários em dúvida se realmente foi indicação das pessoas ou manipulado... muitos dizem que foi, mas acredito que as quatro estralas foi concedido por pessoas como "eu" que apesar de ter achado fraco... achou o trabalho visual lindo. Sim, eu dei três estrelas para o filme. 


Agora explicando porque achei que o titulo em português "O Último Capitulo" não tem nada haver com a história, pois não tem último capitulo e o livro de Iris nem é muito mencionado no filme. Pode ser que talvez o último capitulo se relacione com o final do filme ligado ao passado da casa, não foi bem explorado. Bom isso é algo que não sei explicar.. 


Classificação:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

▪ Leu a postagem e gostou? Deixe um comentário feliz.
▪ Não use palavras de baixo escalão.
▪ Comentários de mau gosto, não serão publicados.
▪ Quer afiliação? Pode pedir por aqui mesmo.
▪ Aceito pedido de postagens.
▪ Não peça "seguindo, segue de volta?", deixe o link de seu blog. Eu irei visitar se eu gostar eu seguirei.