Resenha: Amityville (The Amityville Horror), Jay Anson


Já havia me deparado com esse livro em minha infância, meu pai tinha um lindo e bruto exemplar lançado pela editora Abril, é triste dizer que esse mesmo exemplar se perdeu com vários outros em uma mudança de casa. Quando a Darkside anunciou o livro, logo disse "Vou comprar", a editora consegue nós fazer ficar loucos por seus livros. Eu li, mas não cheguei a fazer a resenha por alguma razão achei melhor aguardar um tempo reler e só então fazer a resenha. Pois é impossível falar do livro, sem falar um pouco do passado de Amityville. Para quem deseja saber um pouco mais sobre a casa de Amityville, visitem o site Sombrados possui uma matéria muito boa sobre o caso. 


O livro Amityville, previamente publicado com o título Horror em Amityville (The Amityville Horror), do escritor Jay Anson, explora um dos casos de casa mal-assombrada mais conhecidos dos Estados Unidos, que mesmo depois de todos esses anos – foi publicado pela primeira vez em 1977.  A obra de não ficção, que estava esgotada no Brasil, ganhou nova tradução de Eduardo Alves e foi republicada no país pela editora DarkSide Books.

No livro Jay Anson relata os acontecimentos vividos pela família Lutz enquanto moravam em uma casa localizada em Amityville na Avenida Ocean Avenue, 112. John Nicola fala sobre as diferentes perspectivas que as pessoas têm sobre os casos e lembra que investigadores de casos psíquicos podem atestar que casos como o da família Lutz não são atípicos. “O sábio sabe que ele não sabe – e o prudente respeita o que não controla”, disse o religioso.


A fuga da casa que já foi cenário de um assassinato em massa, atraiu a visão da mídia que na época fazia sensacionalismo, porém foi para Jay Anson que a família decidiu contar toda sua história. Contaram desde o primeiro dia quando George Lutz descobre sobre os assassinatos que ali aconteceram, quando Ronald DeFeo matou seus pais e irmãos. Com esse histórico George pode comprar a casa por um preço mais em conta do que realmente valia. Nesse mesmo período Ronald tentava alegar insanidade, alegando que escutava vozes pedindo para que ele matasse sua família, o psiquiatra da acusação provou que Ronald sofria de transtorno de personalidade antissocial, mais conhecido como sociopatia.


A narração e de forma linear, o leitor acompanha a visão dos familiares e do padre. É difícil discutir se o livro é ou não uma obra de não ficção, já que o autor não se posicionou se acredita ou não, ele escreveu a historia que veio até ele. Muitos acreditavam que a família Lutz, apenas queria usar um antigo palco de terror para ganhar fama ou dinheiro, muitos diziam até terem comprado a casa já com essas intenções. Enquanto outros acreditam fielmente. É difícil acreditar, pois na época não existiam gravações ou documentações precisas do que acontecera na casa. Para família tudo foi real, independente da falta de provas. 

(Parte da planta da casa)

Para aqueles que esperam um texto mais literário, infelizmente Amityville não é a leitura para isso, e isso pode acabar deixando alguns leitores frustrados. O livro possui o dia-dia da família e em meio a alguns momentos coisas estranhas acontecem, nem sempre claras. O próprio casal de investigadores Ed Warren e Lorraine Warren  descreve em seus livros um pouco sobre o caso de Amityville e junto com outros investigadores paranormais, eles foram convidados a visitarem a casa e fazerem um levantamento — este episódio foi descrito no epílogo da obra. 

Kathy tentou abrir a boca para dizer alguma coisa para o marido. Não conseguiu. Não conseguiu afastar os olhos do demônio com chifres e capuz branco e pontiagudo sobre a cabeça. A criatura estava ficando maior, crescendo em sua direção. Depois de perceber que metade do rosto daquela coisa fora arrancado, como se atingido por um disparo de espingarda à queima-roupa, Kathy gritou”.

Para quem gosta das obras da DarkSide, vale procurar o livro Ed & Lorraine Warren: Demonologistas, o livro fala sobre alguns casos que o casal já trabalharam — inclusive o caso Amityville.

(Desenho de Missy - 5 anos)

O livro também já foi base para adaptações cinematográficas e, intitulados The Amityville. Devo dizer que os filmes é somente baseado no livro, em outras palavras apenas o clímax fatos e acontecimentos não são iguais ao livro. 

Devo dizer, que mesmo que para alguns Amityville seja uma farsa, continua sendo um livro intrigante. Para quem já vivenciou alguma experiência paranormal, sabe muito bem que para o cético tudo não passa de imaginação, loucura ou delírio. A algum tempo um dos filhos do casal Lutz deu uma entrevista e compartilhou suas experiências, no que ele alega ter ficado marcado como o garoto de Amityville e culpa o padrasto de se envolver com ocultismo. (Se desejar ver como a casa está hoje, clique aqui). 

Classificação:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

▪ Leu a postagem e gostou? Deixe um comentário feliz.
▪ Não use palavras de baixo escalão.
▪ Comentários de mau gosto, não serão publicados.
▪ Quer afiliação? Pode pedir por aqui mesmo.
▪ Aceito pedido de postagens.
▪ Não peça "seguindo, segue de volta?", deixe o link de seu blog. Eu irei visitar se eu gostar eu seguirei.